Reflexões de um cristão calvinista a respeito de quase tudo, principalmente assuntos religiosos, linguísticos e filosóficos, com o pressuposto de que a verdade existe, como norteadora da existência e dos sentidos, a qual deve ser buscada e compreendida.

quinta-feira, 12 de junho de 2008

Cristo preenche todas as coisas

Manifestar sentimentos de perda é característica humana, porque põe à mostra o problema existencial do pecado. Sentimentos de perda são rachaduras em nossa alma causadas pela ferida de não termos aquilo que julgamos necessário ao nosso bem-estar. Por esta razão, nossos corações se ocupam com questões temporais que tendem a determinar aquilo que somos e por que existimos. Neste sentido, as perdas são terrivelmente sentidas e causam luto, frustrações, manifestam os frutos malévolos das depressões de alma. Surgem daí os substitutos existenciais: as opções por aquilo que supostamente preencherá nossa felicidade – a bebida, a droga, os relacionamentos sexuais ilícitos, a religiosidade vazia e até mesmo o uso do nome de Deus como paliativo mental para os temores. Isaías 53.11 afirma: “O meu Servo, o Justo, com o seu conhecimento, justificará a muitos, porque as iniqüidades levará sobre si”. O apóstolo Pedro, no mesmo sentido, afirma que “[Jesus] carregando ele mesmo em seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados” (1Pe 2.24). Eis, portanto, um significado que oferece a verdade acerca da realidade humana e que contraria a nossa perspectiva temporal e material e nos submete a um mundo no qual os sentimentos de perda são radicalmente substituídos pela totalidade da obra de Cristo, ao retirar de nós a dor existencial e o único problema gerador de conflitos e frustrações, o pecado. Quando não há mais pecado, há paz de alma e de sentido. Se o abismo causado pelo pecado é preenchido pela extensão da cruz de Cristo, são eliminadas todas as possibilidades de lacunas em nossa existência. Cristo preenche todas as coisas (Cl 1.15-20). As supostas perdas significativas para nossa vida são re-significadas por uma vida cheia de realizações, cujo sentido principal é a glorificação daquele sobre quem tudo converge e é o restaurador de tudo, Cristo (2Co 5.18-21).

2 comentários:

Anônimo disse...

Boa noite!
Sou um recem convertido ao presbiterianismo, e tudo que estou experienciando sobre a PALAVRA DE DEUS me fascina, cheguei ao seu blog por intermedio do do meu pastor - Pensamento Cativo, gostei da maneira como vc escreve, e os temas esta relacionado a tudo o que estou vivenciando. Obrigado pelas palavras e sentimentos expressados em seu blog.
Deus o abençoe
Claudinei Barbosa
Barretos - SP
3ª Igreja Presbiteriana de Barretos
cbbarretos@gmail.com

Wendell Lessa disse...

Querido irmão Claudinei.

Muito obrigado pelos seus comentários.

Espero em Deus que ele continue a me usar para ser meio de bênção para outros.

Ele também usará você! Seja bênção!

Abração!
Wendell